The Fits – 2015

The Fits foi a primeira produção com direção de Anna Rose Holmer – que recebeu uma nomeação para o Spirit Awards de 2017.  É ótimo testemunhar como a paixão de um cineasta pode fazer uma pequena ideia chegar longe. Com um orçamento limitadíssimo, o filme levanta interessantes questões na medida em que propõe uma história bastante peculiar.

Toni (Royalty Hightower) é uma garota de onze anos que tem dois importantes eventos em sua rotina: o primeiro é o treino de boxe de seu irmão. O outro, bem particular e mais recente, diz respeito a uma equipe de dança local, que desperta seu interesse. Logo ela começa a notar que as garotas têm um comportamento bem diferente do seu – colocando a música como prioridade em suas vidas. Ao mesmo tempo que isso deixa Toni desconfortável, logo após sua entrada na equipe de dança estranhos episódios começam a ocorrer com as garotas.

Holmer foi sábia o suficiente para criar uma tensão que justifica a escassez de diálogos. Apesar do filme não ter seu ponto forte na montagem – muito por conta da centralização dos episódios em salas anexas ao abrigo de Toni – os problemas com as dançarinas são expostos dentro de uma rigidez narrativa impressionante. A diretora deixa claro que tinha total domínio de seu objeto de análise e faz disso um trunfo para o desenrolar da história, que não é cansativa (algo comum em produções independentes deste tipo). Cercada de documentaristas, Holmer busca analisar os anseios de Toni e seus dilemas pessoais. A pequena Hightower obviamente é o destaque, pois consegue exercer o protagonismo de forma sutíl e delicada. 

São apenas 72 minutos de filme. É pouco, ainda mais tendo em vista a qualidade da história apresentada, com forte potencial. Mas dentro de seu contexto (diretora desconhecida e sem apelo comercial) – The Fits convence. 

NOTA: 7/10

IMDb

Deixe uma resposta