Descoberta: primeira menção ao nome Oscar na imprensa

Em 1939 a Academia adotou oficialmente o nome ‘Oscar’ para sua estatueta. Naquele ano, no entanto, vários jornais da região de Los Angeles faziam a mesma pergunta: quem foi o responsável por esse apelido? Recentemente, durante uma live, um inscrito do meu canal do YouTube pediu para que eu comentasse mais sobre isso. Como sempre falo nos vídeos da série ‘Histórias do Oscar’, toda pesquisa que eu faço é original – seja com bibliografia especializada ou nos registros dos jornais. Neste caso, todos os jornais em circulação na região de LA nos anos 30 foram digitalizados – o que ajudou essa pesquisa.

As duas principais teorias do apelido Oscar têm defensores apaixonados: a primeira é de que Margaret Herrick, bibliotecária da Academia, deu este nome por conta das semelhanças físicas com o seu tio, Oscar. Anos mais tarde, Margaret descobriria que este Oscar, na verdade, era seu primo. O problema é que Herrick nunca fez um registro formal disso. Considera-se aceitável pensar que informalmente a indústria de Hollywood chamava a estatueta de Oscar a partir do final de 1931.

A outra teoria – até então – tinha suporte com uma prova concreta: o popular colunista Sidney Skolsky, no dia 16 de março de 1934, mencionou em sua coluna que a estatueta se chamava ‘Oscar’.

Mas em 1939, com a Academia formalmente adotando esse nome, Sidney fez questão de se considerar como criador do termo. E até o dia 06/06/2021, data da publicação oficial desta pesquisa, nenhuma menção anterior ao termo ‘Oscar’ havia sido encontrada em jornais ou revistas que cobriam cinema. Quando iniciei esse trabalho de pesquisa, uma das minhas motivações foi tentar revisar todos jornais de Los Angeles que tinham colunas cinematográficas entre 1931 e 1933 – pelo simples motivo: se era aceito que o termo Oscar era de uso comum e informal, provavelmente alguém deve ter registrado isso em uma coluna antes de Sidney.

Várias pesquisas sobre a história do termo foram feitas anteriormente: destaco os esforços de Robert Osborne e  Anthony Holden para tentar achar algum registro antes do dia 16/03/1934. Analisando a metodologia de ambos, cheguei à seguinte conclusão: toda revisão feita nos jornais tinha como base um período que cobria o mês da quarta entrega de prêmios da Academia (novembro de 31) ou da quinta entrega de prêmios da Academia (novembro de 1932).

Como não tivemos Oscar no ano 1933, os jornais teoricamente não fariam qualquer cobertura.

Na pesquisa feita nos arquivos, confirmei que, de fato, não existe menção prévia ao termo ‘Oscar’ entre 1931 e 1932. Mas decidi focar também a análise no ano 1933 – quem sabe algum colunista citaria o termo. E, para minha surpresa e alegria, foi justamente isso o que ocorreu.

Achei a primeira menção a palavra ‘Oscar’, feita no dia 5 de dezembro de 1933 pelo jornalista Relman Morin, em sua coluna CInematters: – publicado no Los Angeles Evening Post-Record.

Preocupante:

O que aconteceu com o banquete anual feito pela Academia? Como vinha acontecendo, o banquete e premiação do ‘Oscar’ – a estatueta feita de bronze para premiar as melhores atuações – já deveria ter sido concluída. Mas até agora, não existe nada sobre isso.

Fiz essa descoberta em março – e enviei o conteúdo para  a Biblioteca Margaret Herrick,  que cuida desse trabalho de pesquisa. E posso falar que esse é um novo capítulo na história do nome Oscar. Pois essa descoberta termina com a teoria propagada por Sidney desde 1939 de que ele foi o criador do termo. Aí você pergunta: então o criador seria Relman Morin?

Não acredito nisso. Acredito que quem deu o nome à estatueta foi Margaret Herrick; é claro que se ela soubesse que esse nome ficaria popular, teria feito algum registro, mas nos anos 30 e 40 vários amigos e funcionários da Academia defenderam em jornais a visão de que ela foi a criadora do termo – e citavam que todo mundo conhecia a estatueta como Oscar já a partir de 1932. Como em 1933 não tivemos cerimônia, o termo estaria em alta mesmo a partir de março de 1934, data da sexta entrega de prêmios. Morrin também não esteve envolvido ativamente nessas discussões pois trabalhou pouco tempo com cinema. Em 1934 foi promovido para editor chefe da Associated Press, em 1937 comandou o escritório da empresa em Tóquio e trabalhou como correspondente de guerra nos anos 40 também. Então chegou a hora de atualizar os livros de história do Oscar. duas são as certezas: Sidney Skolsky não criou o termo em 1934; e a primeira menção ao nome Oscar foi feita em 13 de dezembro de 1933 pelo jornallista Relman Morin, em sua coluna CInematters.
Segundo comunicado oficial da Academia direcionado ao autor e assinado por Anne Coco, bibliotecária, no dia 14/06/2021 – a menção de Relman Morin foi oficialmente reconhecida como o primeiro registro da palavra Oscar.

Confira mais detalhes no meu canal no YouTube:

 

Press inquiries: waldemar@dalenogare.com

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: