Análise dos vencedores do Globo de Ouro 2016

Mais uma edição do Globo de Ouro. Como escrevo há alguns anos, sem dúvida é a premiação que mais oferece surpresas – e este ano não foi diferente. Chego perto de dizer que foi uma premiação impecável. Antes de comentar a lista, cabe um adendo sobre a presença de Ricky Gervais: suas piadas foram bem ao seu nível. Ele não quebrou barreiras ou abusou de palavrões, mas brincou com pelo menos duas situações que não geraram sequer uma risada (Polanski e Schindler’s List).

Melhor filme, drama

Vencedor: The Revenant

Comentários: o melhor filme de 2015! Spotlight certamente perde muita força.

Melhor filme (musical ou comédia)

Vencedor: The Martian

Comentários: A decisão de encaixar The Martian como comédio deu certo! Prêmio para o filme e para Damon. A controversa opção da Fox, no entanto, deve tornar cada vez mais comum este tipo de caso.

Melhor ator, drama

Vencedor: Leonardo DiCaprio – The Revenant

Comentários: a melhor atuação da carreira do melhor ator estadunidense desta geração. Prêmio merecido que dá gás para Leo finalmente conquistar o tão desejado Oscar. O grande momento da noite, o grande discurso.

Melhor atriz, drama

Vencedora: Brie Larson – Room

Comentários: Room é incrível! A alma deste grande filme é Larson.

Melhor atriz (musical ou comédia)

  • Jennifer Lawrence – Joy
  • Melissa McCarthy – Spy
  • Amy Schumer – Trainwreck
  • Maggie Smith – The Lady in the Van
  • Lily Tomlin – Grandma

Vencedora: Jennifer Lawrence – Joy

Comentários: em uma categoria fraca como esta, meu alívio foi saber que Schumer não venceu o Globo de Ouro.

Melhor diretor

Vencedor: Alejandro G. Iñárritu – The Revenant

Comentários: Merecido! Reconhecimento incrível para um visionário como Iñárritu.

Melhor ator (musical ou comédia)

Vencedor: Matt Damon -The Martian

Comentários: Como The Big Short teve seus votos divididos, Damon teve o caminho aberto para conquistar mais um Globo de Ouro. Ótima atuação, prêmio merecido.

Melhor ator coadjuvante

Vencedor: Sylvester Stallone – Creed 

Comentários: mais uma vez a HFPA pode estar por trás de um grande momento na categoria de ator coadjuvante. Em 1993, foram eles que estavam por trás da merecida homenagem à Jack Palance (por City Slickers), que tomou conta de Hollywood, que decidiu entregar o Oscar para o ator. O mesmo pode acontecer com Syl (ainda que difícil). Um prêmio inesperado do ponto de vista da crítica, mas merecido pela sua atuação madura. Emocionante!

Melhor atriz coadjuvante

Vencedora: Kate Winslet – Steve Jobs

Comentários: A categoria estava muito disputada (e extremamente aberta). Apesar de Mirren ser uma das favoritas da HFPA, o prêmio para Winslet chega a ser uma grande surpresa, dado seu alto nível.

Melhor roteiro

Vencedor: Aaron Sorkin – Steve Jobs

Comentários: este sim, um prêmio que pegou toda a crítica! Ninguém apostava tanto no filme sobre a vida de Steve Jobs, e com os Globos de Ouros conquistados fica a pergunta: será que tem fôlego para o Oscar? Tanto Sorkin quanto Winslet mencionaram sua surpresa absoluta – nenhum dos dois era tido como forte concorrente em suas respectivas categorias.

Melhor filme estrangeiro

  • Son of Saul
  • Mustang
  • The Fencer
  • Brand New Testament
  • The Club

Vencedor: Son of Saul

Comentários: Nenhuma surpresa. Deve ser o vencedor em todas as premiações de longa estrangeiro.

Melhor animação

Vencedor: Inside Out

Comentários: chega a ser difícil comparar Inside Out com qualquer outro filme de sua categoria. É uma unanimidade, um espetáculo.

Melhor música

Vencedor: Writings on the Wall – Spectre

Comentários: O ótimo tema do péssimo filme de James Bond é o favorito ao Oscar.

Melhor trilha sonora

Vencedor: The Hateful Eight

Comentários: Mestre Ennio Morricone! 87 anos, sem planos de se aposentar. Um mito, um dos maiores de todos os tempos, como bem disse Tarantino

Prêmio Cecil B.DeMille: Denzel Washington

Comentários: Denzel nunca foi um ator que deixou o dinheiro falar mais alto em sua carreira. Sua seleção de filmes recente – ainda que com alguns erros – mostra que ele gosta de entrar com tudo em seus projetos, com uma dedicação de dar inveja. Dava pra notar de longe a emoção do ator, que, mesmo sem óculos, conseguiu entregar um interessante discurso.

PS: Ridícula intromissão de Jamie Foxx na premiação que deu o Globo de Ouro para Morricone. Protesto completamente desnecessário.

Comments

comments

Deixe uma resposta