O favorito ao Oscar 2016: análise do PGA

Já reclamei diversas vezes da falta de emoção no Oscar – desde a edição de 2007 não existe uma grande surpresa, tudo pode ser previsto pelos sindicatos.

Eis que, ontem, o Producers Guild of America deu seu prêmio de melhor filme para The Big Short e coloca fogo na disputa ao prêmio principal da Academia. O segundo prêmio em três anos para Dede Gardner, Jeremy Kleiner e Brad Pitt (12 Years a Slave) é acompanhado de diversas questões. Afinal, quem é o favorito ao Oscar?

Como sempre digo, o Globo de Ouro e o Critics jamais devem ser levados em conta na hora de tentar prever o Oscar, já que essas premiações são compostas por um pequeno grupo de jornalistas. No PGA, ao contrário, temos 7000 pessoas aptas a votar, em um sistema igual o da Academia.

Os números interessam: nos últimos 26 anos, época em que se colocou definitivamente como uma premiação relevante em Hollywood, 19 filmes que venceram o prêmio PGA Zanuck Award também levaram o Oscar de melhor filme.

Sim, atualmente The Big Short é o favorito ao Oscar de melhor filme.

A previsão pode se confirmar no SAG Awards. Se The Big Short vencer o prêmio de melhor elenco – disputará com Spotlight e The Revenant – teremos o franco favorito ao prêmio da Academia. A votação do SAG fica aberta até sexta, e a premiação acontece no sábado. Historicamente, centenas de membros do SAG deixam para votar nos últimos dois dias, e este fator ajuda (e muito) o filme estrelado por Christian Bale.

Apenas dois filmes que venceram tanto o SAG quanto o PGA perderam o Oscar: Apollo 13, em 1996, e Little Miss Sunshine, na premiação de 2007. A disputa está aberta, e certamente é bem mais emocionante do que ano passado, entre Birdman e Boyhood.

O PGA também confirmou a posição de Amy como favorito para a categoria de melhor documentário e , obviamente, deixa claro que Inside Out vencerá todos os prêmios que disputará na categoria de animação.

 

Um comentário em “O favorito ao Oscar 2016: análise do PGA

Deixe uma resposta