Spinning Man – 2018

Não espere muito de filmes com o logo da Lionsgate Premiere. Essa divisão, focada em streaming e vídeo sob demanda, geralmente reúne projetos de baixo custo que são viabilizados apenas pela possibilidade de retorno financeiro. Admito, no entanto, que pela primeira vez em muito tempo tive curiosidade de acompanhar um filme da divisão no dia de lançamento. Spinning Man conta com dois grandes atores e apresenta uma trama que desperta curiosidade. Bom, se o cinema independente dá mostras claras de que não é necessário muito dinheiro para levar as telas algo de qualidade, por qual motivo não daria uma chance, certo?

Pois bem. Após a exibição do filme apenas confirmei que nada mudou na Lionsgate Premiere desde 2015, ano de criação da divisão. Poderia dizer que são os atores certos no gênero certo e no filme errado, mas estaria cometendo certa injustiça. De fato existe um apelo narrativo grande, especialmente nos primeiros trinta minutos, mas as falhas de produção e os desvios acabam comprometendo o impacto da conclusão, que perde credibilidade pela forma como é tratada.

Evan Birch (Guy Pearce) é professor de filosofia que torna-se principal suspeito pelo desaparecimento de uma jovem estudante. Com um histórico de relações com alunas, o caso é investigado pelo detetive Malloy (Pierce Brosnan), intrigado pelo número de evidências que apontam a ligação do professor no caso.

Spinning Man é um filme que infelizmente tenta entregar muito mais do que pode oferecer. O espectador aos poucos é conduzido pela trama acreditando em um final épico (as tentativas de comparação com Memento são válidas apenas por Pearce, por sinal) – mas esse fato nunca é concretizado. O grande problema está na produção precária. Quem nota detalhes pode ficar com a certeza que o longa foi rodado em apenas uma semana  – já que não houve nem a preocupação com um rodízio de roupas ou mudanças de cenário.

Mas, como citei, esta produção é um exemplo claro dos frutos da Lionsgate Premiere, que conseguirá, na medida do possível, bons resultados apenas por conta da reputação dos atores envolvidos. Brosnan e Pearce estão colecionando filmes B em suas carreiras, fato incompreensível dada a qualidade de ambos.

NOTA: 4/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta