Tom of Finland – 2017

Tom of Finland é uma produção finlandesa competente. Cumpre o objetivo de dar um panorama geral da biografia de Touko Laaksonen, um dos ícones da cultura gay no século XX a partir da análise de seu trabalho tendo em vista sua influência e repercussão mundial. Dito isso, não se pode negar que o filme dirigido por Dome Karukoski tem um grande problema contextual, partindo do princípio que o espectador conhece a história de Laaksonen ao negar informações básicas do período retratado.

A vida de Laaksonen (Pekka Strang) é retratada a partir de suas memórias trágicas da Segunda Guerra Mundial. Sua relação com sua irmã, Kaija (Jessica Grabowsky), seus relacionamentos amorosos e seus desenhos eróticos gays – símbolos de uma cultura brutalmente reprimida durante as décadas de 1950 e 1960 são discutidos até sua descoberta por Durk Dehner – no filme Doug (Seumas Sargent), que junto de seu namorado, Jack (Jakob Oftebro), foram essenciais para a divulgação do trabalho de Tom nos Estados Unidos.

A fotografia do filme é o ponto alto. As aventuras fora da lei de Laaksonen e sua firme posição de resistência – ainda que discreta – são exploradas a partir de cenas escuras, em um período onde tudo deveria ser feito de forma discreta. Infelizmente o filme deixa em aberto uma importante etapa da carreira de Touko – justamente na década de 1970, com a descriminalização da nudez masculina. Também seria valioso apresentar dentro do filme uma discussão sobre o começo da crise de AIDS que abalou a comunidade homossexual e foi retratada em trabalhos do próprio Tom, já que ele sofreu durante anos com o peso da acusação de ser um dos grandes responsáveis pela disseminação da doença. Isso comprova que Karukoski optou for levar ao cinema uma cinebiografia que segue rigorosamente os padrões tradicionais do mercado atual, com menos de duas horas de duração e recorte temporal muito justo e sem entrar em nenhuma discussão polêmica. Uma pena, pois a atuação de Pekka Strang é muito boa e a boa maquiagem e ambientação comprovam a capacidade do longa de dar o passo adiante. Tom of Finland é o candidato da Finlândia ao Oscar 2018.

* Festival do Rio 2017

NOTA: 5/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta