The Ghost and the Darkness (A Sombra e a Escuridão) – 1996

Existem filmes que despertam mais atenção na história apresentada do que na contada. The Ghost and the Darkness (A Sombra e a Escuridão, no Brasil) é um claro exemplo disso. O longa de mais de cinquenta milhões de dólares foi a grande aposta da Paramount no ano de 1996 e por pouco não foi um fracasso total nas bilheterias. O motivo? Poderia elencar vários, mas mantenho meu foco na péssima atuação de Val Kilmer e nas más opções adotadas pelos produtores.

No auge das disputas entre as potências europeias pelo território africano, o Coronel John Patterson (Val Kilmer) é chamado para comandar a construção de uma ponte que deve atravessar o rio Tsavo (atual Uganda) e facilitar a comunicação e o transporte de cargas para as demais zonas controladas pelo Império Britânico. Ao chegar na região, John se depara com uma realidade muito pior do que imaginava: hospital cheio de doentes, descontentamento dos líderes locais e a forte pressão de seu chefe para terminar a obra o quanto antes. O que era ruim apenas ganha traços ainda mais dramáticos quando dois leões passam a devorar os trabalhadores da área.

A história é real, bem documentada e por vários anos foi amplamente divulgada no Reino Unido como um exemplo da natureza selvagem e desconhecida da África. Se os fatos são interessantes por si só, o mesmo não se pode dizer de um coadjuvante (Michael Douglas) que entra em cena apenas para enrolar o desfecho do longa por mais vinte minutos. As cenas de ação e a ambientação são péssimas, deixando claro a falta de despreparo e a confusão gerada no set.

Kilmer parece estar em um parque de diversões e não passa nenhuma segurança ou credibilidade na pele do personagem principal. Seu timming é ruim e os vários cortes feitos pela equipe de edição agravam ainda mais esta situação. Kilmer foi o responsável direto pelo fracasso de The Ghost and the Darkness, um filme com muito potencial mas que falha no básico ao não apostar por um minuto na história que conta.

NOTA: 5/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta