Next Gen – 2018

Quando a Netflix comprou os direitos de distribuição no ocidente da animação Next Gen, pensava-se que seria apenas mais uma adição silenciosa ao catálogo, com pouca repercussão. Dias depois, a empresa anunciou os números que envolveram a transação – que superava os trinta milhões de dólares (ou seja, muito dinheiro no mercado de streaming). O forte marketing, no entanto, deixa claro que a Netflix tem altas pretensões – visando até mesmo a disputa do Oscar.

Ao assistir Next Gen, fiquei com a clara impressão de que os diretores Kevin R. Adams e Joe Ksander tinham nobres intenções, talvez direcionando uma mensagem positiva para as crianças. Ocorre, no entanto, que a fórmula utilizada está esgotada nos filmes infantis, com um final feliz vazio, que sequer explora o potencial dos personagens.

A adaptação do conto de Wang Nima, Next Gen ocorre no futuro e tem como protagonista a adolescente Mai (Charlyne Yi), com o típico ranço de sua faixa etária. Ela torna-se amiga do robô 7723 (John Krasinski) – um protótipo produzido por uma gigante do mercado ao estilo Apple – que descobre o significado de liberdade e luta para fugir. A partir disso, Mai é posicionada como um suporte na narrativa para que ambos possam tirar lições sobre amizade e companheirismo, os dois principais temas do filme.

Não espere algo da qualidade da Pixar. O capricho dos cenários e a boa direção de arte fazem jus ao dinheiro investido. Sem contar com um grande orçamento de produção, o processo criativo em torno de Next Gen preferiu fechar várias tomadas para captar as emoções dos protagonistas – salvando preciosos recursos. O gran finale foge desta padronização ao explorar mais detalhes em um ambiente aberto.

Chances de Oscar? Bem, é fato que o padrão atual das animações é mediano – com dois destaques por ano, uma produção independente de valor e nomes “comuns” que completam a lista de indicados. Não me surpreenderia ver Next Gen, que teve lançamento em Cannes, no Oscar, mas o ano, sem dúvida, é de The Incredibles 2.

É interessante notar como a indústria de entretenimento, de forma geral, cada vez mais está explorando sobre a moralidade da inteligência artificial. Em determinados momentos, Next Gen parece um complemento as ideias recentemente veiculadas no game Detroit: Become Human. Uma tendência.

NOTA: 6/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta