Avengers: Infinity War (Vingadores: Guerra Infinita) – 2018

Após meses de espera, finalmente o filme de super heróis mais aguardado da história do cinema até hoje foi lançado. Avengers: Infinity War (Vingadores: Guerra Infinita, no Brasil). Por mais que tente evitar ao máximo spoilers nas críticas, deixo mesmo assim o aviso até pelo fato do longa reservar várias surpresas. 300 milhões de dólares gastos e dez anos de histórias de variados heróis que finalmente se encontram no mesmo universo. É louvável ver como a Marvel conseguiu deixar de lado a imagem que filmes de heróis estavam fadados ao fracasso por abusar da mesma fórmula. Sabemos que em cada filme temos novidades e histórias que de fato são relevantes e que causam impacto.

Como fazer, então, um resumo de um filme que reúne dez anos de histórias? Poderia dizer que testemunhamos heróis como o Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Thor (Chris Hemsworth), Pantera Negra (Chadwick Boseman), Capitão América (Chris Evans) e Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch) enfrentar o poderoso Thanos (Josh Brolin), sem dúvida o antagonista com maior rastro de destruição causado em filmes do gênero. Mas considero que o título – Guerra Infinita – é feliz ao sugerir um conflito interminável, já que temos outros tantos heróis de igual relevância que são fundamentais no desenrolar da história.

Fiquei surpreso com a repercussão nos Estados Unidos, confesso. Alguns colegas não gostaram nem um pouco da forma como a narrativa foi conduzida e focaram as críticas no ato final do filme e até mesmo na cena pós-créditos, que indica a continuação da história. Posso garantir que na minha sessão as manifestações espontâneas de fãs e pessoas que realmente esperavam Infinity War mostram como a Marvel mais uma vez conseguiu surpreender e sair da zona de conforto, seja na surpresa pela entrada do personagem X ou na morte do Y. Anthony e Joe Russo conseguem mesclar ótimas cenas de combate – usando a melhor tecnologia gráfica disponível no mercado para expandir o potencial dos efeitos especiais – com diálogos bem construídos. A transição de cenas é surpreendentemente boa, passando a impressão de virar a página de uma HQ. Os irmãos Russo também aumentam o nível de violência ao tratar de genocídio e tortura.

Avengers: Infinity War mantém o alto padrão de filmes da Marvel. De fato não é um filme para concorrer ao tão sonhado Oscar que a Marvel busca (tenho plena convicção que a campanha será feita para Black Panther). Mas agrada pela qualidade e já cria um hype fortíssimo para o próximo longa da franquia.

NOTA: 8/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta