Apostas para o Oscar 2018

Chegou a hora! O Oscar 2018 promete. São várias categorias extremamente disputadas – e pela primeira vez em mais de uma década temos três filmes com plenas chances para vitória na principal categoria do principal prêmio do cinema mundial.

Proponho, como sempre, uma análise detalhada em cada categoria.

Melhor filme

“Call Me by Your Name” – Peter Spears, Luca Guadagnino, Emilie Georges e Marco Morabito
“Darkest Hour”- Tim Bevan, Eric Fellner, Lisa Bruce, Anthony McCarten e Douglas Urbanski
“Dunkirk” – Emma Thomas e Christopher Nolan
“Get Out” – Sean McKittrick, Jason Blum, Edward H.  Hamm Jr. e Jordan Peele
“Lady Bird” – Scott Rudin, Eli Bush e Evelyn O’Neill
“Phantom Thread” – JoAnne Sellar, Paul Thomas Anderson, Megan Ellison e Daniel Lupi
“The Post” – Amy Pascal, Steven Spielberg e Kristie Macosko Krieger
“The Shape of Water” – Guillermo del Toro e J. Miles Dale
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Graham Broadbent, Pete Czernin and Martin McDonagh

Comentários: Three Billboards outside Ebbing, Missouri foi alvo de forte polêmica ao longo do mês de janeiro. Reconheço, no entanto, que ela não teve força suficiente e não comprometeu o filme como, por exemplo, o caso James Franco comprometeu a campanha de The Disaster Artist.  The Shape of Water corre por fora. Aposto, portanto, em Three Billboards outside Ebbing, Missouri. Uma possível vitória de Get Out seria fruto do sistema preferencial, aproveitando a rejeição de Three Billboards (talvez por resquícios da polêmica) e The Shape of Water (gênero) – e seria, sem sombra de dúvidas, a maior surpresa da história na Academia, além de promover a mensagem social e política do filme.

Melhor direção

“Dunkirk” – Christopher Nolan
“Get Out” – Jordan Peele
“Lady Bird” – Greta Gerwig
“Phantom Thread” – Paul Thomas Anderson
“The Shape of Water” – Guillermo del Toro

Comentários: Este é o ano de Guillermo del Toro, que venceu praticamente todos os grandes prêmios possíveis nesta temporada. Não existe a possibilidade de outro nome. Nolan foi prejudicado pela janela de lançamento de Dunkirk, o que comprometeu suas chances neste ano, apesar do excelente trabalho.

Melhor ator

Timothée Chalamet em “Call Me by Your Name” 
Daniel Day-Lewis em “Phantom Thread”
Daniel Kaluuya em “Get Out”
Gary Oldman em “Darkest Hour” 
Denzel Washington in “Roman J. Israel, Esq.”

Comentários: Gary Oldman. Categoria mais fácil desta temporada.

Melhor atriz

Sally Hawkins em “The Shape of Water” 
Frances McDormand em “Three Billboards outside Ebbing, Missouri” 
Margot Robbie em “I, Tonya”
Saoirse Ronan em “Lady Bird” 
Meryl Streep em “The Post” 

Comentários: na época da nomeação, considerei esta categoria como uma das mais disputadas do Oscar. Um mês depois, não consigo ver Frances McDormand sem o Oscar. Virou a grande favorita pelas conquistas recentes. Ronan corre por fora.

Melhor ator coadjuvante

Willem Dafoe em “The Florida Project”
Woody Harrelson em “Three Billboards outside Ebbing, Missouri”
Richard Jenkins em “The Shape of Water” 
Christopher Plummer em “All the Money in the World”
Sam Rockwell em “Three Billboards outside Ebbing, Missouri”

Comentários: caso The Florida Project tivesse uma distribuição mais efetiva nos Estados Unidos, Dafoe poderia competir com muito mais força nesta categoria. Sam Rockwell é o favorito e minha aposta.

Melhor atriz coadjuvante

Mary J. Blige em “Mudbound”
Allison Janney em “I, Tonya” 
Lesley Manville em “Phantom Thread”
Laurie Metcalf em “Lady Bird” 
Octavia Spencer em “The Shape of Water” 

Comentários: outra categoria que foi bem direcionada no último mês. Metcalf era a favorita, mas Allison Janney venceu tudo recentemente e é a minha aposta.

Melhor roteiro adaptado
“Call Me by Your Name” – James Ivory
“The Disaster Artist” -Scott Neustadter & Michael H. Weber
“Logan” – Scott Frank & James Mangold e Michael Green; História de James Mangold
“Molly’s Game” – Aaron Sorkin
“Mudbound” – Virgil Williams and Dee Rees

Comentários: Call Me by Your Name! Mudbound corre por fora, já que The Disaster Artist, filme que poderia competir pelo prêmio, foi comprometido por conta das polêmicas envolvendo James Franco.

Melhor roteiro original
“The Big Sick” – Emily V. Gordon & Kumail Nanjiani
“Get Out” – Jordan Peele
“Lady Bird” – Greta Gerwig
“The Shape of Water” – Guillermo del Toro & Vanessa Taylor; História de Guillermo del Toro
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Martin McDonagh

Comentários: Sim, esta é a categoria imprevisível do Oscar 2018. Aposto em Get Out pela vitória no Writers Guild e por entender que a Academia não deixará este filme sem um prêmio. Lady Bird e Three Billboards correm por fora.

Melhor filme estrangeiro
“A Fantastic Woman” – Chile 
“The Insult” – Líbano
“Loveless” – Russia 
“On Body and Soul” – Hungria
“The Square” – Suécia

Comentários: tenho um grande amor por esta categoria. Confesso que é a mais acirrada da última década. Jamais imaginaria um filme como A Fantastic Woman/Una mujer fantastica recebendo uma nomeação ao Oscar. Apostaria no candidato da Rússia, o ótimo Loveless – meu favorito desta lista – mas é muito provável que a Academia entregue o prêmio para o longa chileno para quebrar paradigmas e afastar as críticas de que o comitê de filmes estrangeiros é o berço do conservadorismo em Hollywood.

Melhor fotografia

“Blade Runner 2049” – Roger A. Deakins
“Darkest Hour” –  Bruno Delbonnel
“Dunkirk” – Hoyte van Hoytema
“Mudbound” – Rachel Morrison
“The Shape of Water” – Dan Laustsen

Comentários: Blade Runner 2049. Também entendo que a Academia dará força ao filme com este prêmio prestigiado.

Melhor documentário:
“Abacus: Small Enough to Jail”
“Faces Places”
“Icarus” 
“Last Men in Aleppo”
“Strong Island”

Comentários: gostei muito da lista deste ano. Não existe um favorito claro. Last Men in Aleppo pode ganhar força pelo caráter político. Mas acredito que a Academia irá prestigiar Agnes Varda e premiará Faces Places.  Icarus corre por fora.

Melhor animação

“The Boss Baby”
“The Breadwinner”
“Coco” 
“Ferdinand”
“Loving Vincent”

Comentários: Adoraria ver o Oscar com Loving Vincent – que corre por fora – mas o franco favorito da temporada é Coco, que é minha aposta.

Melhor direção de arte

“Beauty and the Beast” –  Sarah Greenwood e Katie Spencer
“Blade Runner 2049” Dennis Gassner e Alessandra Querzola
“Darkest Hour” – Sarah Greenwood e Katie Spencer
“Dunkirk” – Nathan Crowley e Gary Fettis
“The Shape of Water” Paul Denham Austerberry, Shane Vieau e Jeff Melvin

Comentários: ótima disputa entre The Shape of Water e Blade Runner. Disputa entre uma recriação da década de 1960 contra uma visão futurista que carrega o peso de seu antecessor. Aposto em The Shape of Water, apesar de considerar o trabalho de Blade Runner mais impactante.

Melhor maquiagem e cabelo
“Darkest Hour” – Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick
“Victoria & Abdul” – Daniel Phillips e Lou Sheppard
“Wonder” – Arjen Tuiten

Comentários: teoricamente o trabalho que mais impressiona destes indicados é Wonder. Mas a Academia costuma premiar filmes como Darkest Hour, que é minha aposta.

Melhor edição/montagem
“Baby Driver” – Paul Machliss e Jonathan Amos
“Dunkirk” – Lee Smith
“I, Tonya” – Tatiana S. Riegel
“The Shape of Water” – Sidney Wolinsky
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Jon Gregory

Comentários: Aposto em Dunkirk. Alguns anos atrás a vitória nesta categoria encaminharia o Oscar de melhor filme, algo que não vale mais. Destaco, no entanto, a forte pressão de certos grupos de Los Angeles para dar o prêmio para Baby Driver, que pode surpreender.

Melhor figurino

“Beauty and the Beast”- Jacqueline Durran
“Darkest Hour” – Jacqueline Durran
“Phantom Thread” – Mark Bridges
“The Shape of Water” – Luis Sequeira
“Victoria & Abdul” – Consolata Boyle

Comentários: no ano passado a Academia surpreendeu ao entregar o prêmio para Fantastic Beasts and Where to Find Them ao invés de La La Land. Não tenho ideia do parâmetro nesta categoria – mas noto favoritismo de Phantom Thread e Beauty and the Beast. Destes, aposto em Phantom Thread.

Melhores efeitos especiais
“Blade Runner 2049” – John Nelson, Gerd Nefzer, Paul Lambert e Richard R. Hoover
“Guardians of the Galaxy Vol. 2” – Christopher Townsend, Guy Williams, Jonathan Fawkner e Dan Sudick
“Kong: Skull Island” -Stephen Rosenbaum, Jeff White, Scott Benza e Mike Meinardus
“Star Wars: The Last Jedi” – Ben Morris, Mike Mulholland, Neal Scanlan e Chris Corbould
“War for the Planet of the Apes” – Joe Letteri, Daniel Barrett, Dan Lemmon e Joel Whist

Comentários: muito difícil! O Oscar pode ir tanto para Blade Runner quanto para War for the Planet of the Apes. Fico com este último pelas vitórias no Visual Effects Society Awards.

Melhor trilha sonora 
“Dunkirk” – Hans Zimmer
“Phantom Thread” – Jonny Greenwood
“The Shape of Water” – Alexandre Desplat
“Star Wars: The Last Jedi” –  John Williams
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Carter Burwell

Comentários: ótima lista. Difícil de apostar. O trabalho de Zimmer em Dunkirk é fabuloso e é o que mais complementa a experiência visual. Mas The Shape of Water é a minha aposta pelo fator Alexandre Desplat.

Melhor canção original
“Mighty River”, de “Mudbound”
“Mystery Of Love”, de “Call Me by Your Name”
“Remember Me”, de “Coco”
“Stand Up For Something”, de “Marshall”
“This Is Me”, de “The Greatest Showman”

Comentários: Remember Me é a que mais “fica na cabeça”. Deve ser a vitoriosa.

Melhor edição de som
“Baby Driver” – Julian Slater
“Blade Runner 2049” – Mark Mangini e Theo Green
“Dunkirk” – Richard King e Alex Gibson
“The Shape of Water” – Nathan Robitaille e Nelson Ferreira
“Star Wars: The Last Jedi” – Matthew Wood e Ren Klyce

Comentários: Dunkirk é a minha aposta. É a aposta segura. Baby Driver é a aposta de quem quer fugir do previsível.

Melhor mixagem de som
“Baby Driver”- Julian Slater, Tim Cavagin e Mary H. Ellis
“Blade Runner 2049” – Ron Bartlett, Doug Hemphill e  Mac Ruth
“Dunkirk” – Mark Weingarten, Gregg Landaker e Gary A. Rizzo
“The Shape of Water” – Christian Cooke, Brad Zoern e Glen Gauthier
“Star Wars: The Last Jedi” – David Parker, Michael Semanick, Ren Klyce e Stuart Wilson

Comentários:  Idem! Dunkirk é a minha aposta. É a aposta segura. Baby Driver é a aposta de quem quer fugir do previsível.

Melhor curta de animação
“Dear Basketball”
“Garden Party”
“Lou”
“Negative Space”
“Revolting Rhymes”

Comentários: Dear Basketball é o grande favorito. Foi o que teve maior repercussão no último ano.

Melhor curta

“DeKalb Elementary”
“The Eleven O’Clock”
“My Nephew Emmett”
“The Silent Child”
“Watu Wote/All of Us”

Comentários: apostaria em My Nephew Emmettmas noto claro favoritismo para DeKalb Elementary por conta de sua história. Aposto, portanto, neste último.

Melhor documentário (curta)
“Edith+Eddie”
“Heaven Is a Traffic Jam on the 405”
“Heroin(e)”
“Knife Skills”
“Traffic Stop”

Comentários: Sim, Edith+Eddie é o mais interessante. Mas Traffic Stop tem uma mensagem muito forte e acredito que deva conquistar a Academia.

Comments

comments

Deixe uma resposta