Visages villages / Faces Places – 2017

2017 não será lembrado como um ano de grandes documentários. As produções apresentadas em Sundance não tiveram o mesmo apelo de anos anteriores e vários lançamentos foram deslocados para 2018 (que realmente promete trazer ótimos nomes). Dentre os poucos documentários de alto nível, Visages villages (distribuído internacionalmente como Faces Places) destaca-se.

Para os cinéfilos, Agnès Varda é figura de grande interesse por conta de seu impecável trabalho na New Wave francesa, além de ser dona de uma memória invejável sobre o movimento em geral. Para os apreciadores da arte contemporânea, o trabalho do francês JR – o Inside Out Project – cada vez ganha mais destaque. O que estas duas figuras, de áreas diferentes e de gerações diferentes poderiam fazer, juntas, em um documentário?

A grande surpresa de Visages villages está na forma como este diálogo é levado ao público. A partir de suas próprias experiências de vida, os dois circulam pelo interior da França atrás de histórias de pessoas comuns, que, graças ao aparato montado pelo projeto de JR, dão vida as cidades ou aos seus locais de afeição através de grandes murais fotográficos. JR atua como o fotografo atrás de uma imagem para a eternindade, enquanto Varda faz as perguntas aos moradores e coloca as respostas destes em discussão com seu parceiro.

A estrutura narrativa é muito casual, como se fosse construída a partir de episódios. A mensagem final repassada pelo documentário, no entanto, deve ser analisada no contexto geral. Notamos, por exemplo, como uma mulher de 89 anos, com uma carreira consagrada, mostra disposição para aprender e repassar seu conhecimento. A parte final do filme, que causou certa polêmica na França, envolve uma tentativa de encontro de Varda e Godard, grandes parceiros na época da New Wave que acabaram se afastando nas últimas décadas.

É difícil um documentário estrangeiro de circulação restrita nos Estados Unidos conseguir uma nomeação ao Oscar. Visages villages merece todo crédito por isso – e certamente conquistará o espectador que conseguir assistir essa ótima produção no cinema.

NOTA: 8/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta