Indicados ao Oscar 2018 – Comentários e críticas de todos os filmes

A Academia anunciou nesta terça-feira (23) a lista de indicados ao Oscar 2018.

Pela primeira vez a Academia apostou em um tipo de nomeação bem mais informal, com vídeos introdutórios sobre cada categoria. Uma adição excepcional.

A lista, no geral, contém algumas surpresas, como observaremos adiante. Antes, uma análise geral:

a) The Shape of Water conseguiu treze (!) indicações ao Oscar. Uma abaixo do recorde histórico Ben-Hur, Titanic e The Lord of the Rings: The Return of the King;

b) The Disaster Artist entrará para a história como exemplo de campanha destruída por controvérsias. O caso de James Franco afetou a campanha de tal forma que o longa apenas conseguiu a nomeação na categoria na qual era favorito (roteiro adaptado), mas que não deve levar o Oscar.

c) A histórica Paramount não passa pela sua melhor fase. Nenhum filme indicado. A produtora focou em títulos controversos, como mother!, Suburbicon e Downsizing. E caso não adquira filmes ao longo do ano, corre risco de ficar de fora do próximo Oscar, já que sua lista provisória de lançamentos para 2018 é bem fraca.

d) Blade Runner 2049 confirmou minha previsão: com cinco nomeações em categorias secundárias, mostra que a produção do longa é indiscutivelmente boa.

e) A Academia não nomeou Spielberg, mas não teve coragem de tirar The Post da lista de melhor filme e Streep da lista de melhor atriz.

f) A Netflix consegue dar um passo interessante com Mudbound. Mesmo que não tenha levado a sonhada indicação ao Oscar de melhor filme, conseguiu quatro nomeações, incluindo melhor atriz coadjuvante.

g) Sim, a Academia adorou Darkest Hour. O filme recebeu nomeações em todas as categorias que aparecia com chances.

Vamos a lista!

Melhor filme

“Call Me by Your Name” – Peter Spears, Luca Guadagnino, Emilie Georges e Marco Morabito
“Darkest Hour”- Tim Bevan, Eric Fellner, Lisa Bruce, Anthony McCarten e Douglas Urbanski
“Dunkirk” – Emma Thomas e Christopher Nolan
“Get Out” – Sean McKittrick, Jason Blum, Edward H.  Hamm Jr. e Jordan Peele
“Lady Bird” – Scott Rudin, Eli Bush e Evelyn O’Neill
“Phantom Thread” – JoAnne Sellar, Paul Thomas Anderson, Megan Ellison e Daniel Lupi
“The Post” – Amy Pascal, Steven Spielberg e Kristie Macosko Krieger
“The Shape of Water” – Guillermo del Toro e J. Miles Dale
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Graham Broadbent, Pete Czernin and Martin McDonagh

Comentários: ótima lista. A Academia abriu espaço para Get Out, que era motivo de dúvida e controvérsia em Hollywood. Infelizmente The Florida Project ficou de fora. Como havia alertado, a distribuição do filme nos EUA foi horrível. Muitos esperavam uma lista com dez nomes, e sinto que I, Tonya ficaria com essa última vaga.

Melhor direção

“Dunkirk” – Christopher Nolan
“Get Out” – Jordan Peele
“Lady Bird” – Greta Gerwig
“Phantom Thread” – Paul Thomas Anderson
“The Shape of Water” – Guillermo del Toro

Comentários: muito bem! Jordan Peele tirou Spielberg da lista. Fiquei extremamente feliz por Greta Gerwig. Merecido!

Melhor ator

Timothée Chalamet em “Call Me by Your Name” 
Daniel Day-Lewis em “Phantom Thread”
Daniel Kaluuya em “Get Out”
Gary Oldman em “Darkest Hour” 
Denzel Washington in “Roman J. Israel, Esq.”

Comentários: era exatamente a lista que eu previa. Denzel acabou tirando o lugar de James Franco por conta das acusações recentes. Gary Oldman deve levar a estatueta – e essa categoria já é a mais “fácil” do Oscar 2018, de tal modo que uma derrota do ator de Darkest Hour entraria para a história como uma das cinco maiores surpresas da premiação.

Melhor atriz

Sally Hawkins em “The Shape of Water” 
Frances McDormand em “Three Billboards outside Ebbing, Missouri” 
Margot Robbie em “I, Tonya”
Saoirse Ronan em “Lady Bird” 
Meryl Streep em “The Post” 

Comentários: uma excelente lista. Não tenho dúvidas de que será a categoria mais disputada desta premiação.

Melhor ator coadjuvante

Willem Dafoe em “The Florida Project”
Woody Harrelson em “Three Billboards outside Ebbing, Missouri”
Richard Jenkins em “The Shape of Water” 
Christopher Plummer em “All the Money in the World”
Sam Rockwell em “Three Billboards outside Ebbing, Missouri”

Comentários: Como previsto, Call Me by Your Name não conseguiu colocar um ator na lista. Grande destaque para os produtores de Three Billboards e para a Fox Searchlights, que se empenharam na campanha de Woody Harrelson no começo deste mês após notar que Sam Rockwell estaria com certeza na lista.

Melhor atriz coadjuvante

Mary J. Blige em “Mudbound”
Allison Janney em “I, Tonya” 
Lesley Manville em “Phantom Thread”
Laurie Metcalf em “Lady Bird” 
Octavia Spencer em “The Shape of Water” 

Comentários: ótimas indicadas! A lista era previsível, mas não tinha como escapar destes nomes nesta temporada.

Melhor roteiro adaptado
“Call Me by Your Name” – James Ivory
“The Disaster Artist” -Scott Neustadter & Michael H. Weber
“Logan” – Scott Frank & James Mangold e Michael Green; História de James Mangold
“Molly’s Game” – Aaron Sorkin
“Mudbound” – Virgil Williams and Dee Rees

Comentários: conforme previsto, Logan apareceu na lista. Aliás, foi o filme que a Fox mais investiu dinheiro na temporada em busca de uma possível nomeação para melhor filme. Não aconteceu, mas pelo menos recebeu esta nomeação.

Melhor roteiro original
“The Big Sick” – Emily V. Gordon & Kumail Nanjiani
“Get Out” – Jordan Peele
“Lady Bird” – Greta Gerwig
“The Shape of Water” – Guillermo del Toro & Vanessa Taylor; História de Guillermo del Toro
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Martin McDonagh

Comentários: vamos lá. Existe um grande jogo de bastidores em torno das grandes produtoras e distribuidoras. Todas elas fazem campanha com foco no Oscar. As duas grandes derrotadas de 2017 foram a Paramount,, que não conseguiu nenhuma nomeação, e a Amazon, com apenas uma nomeação para The Big Sick – um absurdo, na minha visão, por deixar de fora I, Tonya – melhor em todos os sentidos da narrativa e de desenvolvimento. No jogo da Amazon, The Big Sick tinha chances reais apenas nesta categoria e em atriz coadjuvante, com Holly Hunter – e nessas horas o marketing em torno do filme e dos screeners torna-se fundamental.

Melhor filme estrangeiro
“A Fantastic Woman” – Chile 
“The Insult” – Líbano
“Loveless” – Russia 
“On Body and Soul” – Hungria
“The Square” – Suécia

Comentários: na minha categoria predileta, surpresas. A Academia preferiu o filme húngaro ao invés do alemão In the Fade. A surpresa foi a ausência do israelense Foxtrot, sem sombra de dúvidas o longa estrangeiro mais divulgado em Los Angeles, com forte atuação da Sony, para a entrada do longa libanês.

Melhor fotografia

“Blade Runner 2049” – Roger A. Deakins
“Darkest Hour” –  Bruno Delbonnel
“Dunkirk” – Hoyte van Hoytema
“Mudbound” – Rachel Morrison
“The Shape of Water” – Dan Laustsen

Comentários: a minha grande decepção! Inacreditável ver Sayombhu Mukdeeprom, diretor de fotografia de Call me By Your Name fora da lista para que Darkest Hour recebesse mais uma nomeação.

Melhor documentário:
“Abacus: Small Enough to Jail”
“Faces Places”
“Icarus” 
“Last Men in Aleppo”
“Strong Island”

Comentários: mais uma vez a Netflix consegue destaque nessa categoria, com dois indicados (Icarus e Strong Island, sendo que o primeiro é produção da casa). A surpresa foi com a entrada de Acabus na lista no lugar de Jane, que era um dos grandes favoritos da temporada.

Melhor animação

“The Boss Baby”
“The Breadwinner”
“Coco” 
“Ferdinand”
“Loving Vincent”

Comentários: interessante notar como a Academia rejeita os filmes Lego. Por conta disso, The Boss Baby apareceu na lista como surpresa, tendo em vista as ótimas produções independentes que foram deixadas de fora.

Melhor direção de arte

“Beauty and the Beast” –  Sarah Greenwood e Katie Spencer
“Blade Runner 2049” Dennis Gassner e Alessandra Querzola
“Darkest Hour” – Sarah Greenwood e Katie Spencer
“Dunkirk” – Nathan Crowley e Gary Fettis
“The Shape of Water” Paul Denham Austerberry, Shane Vieau e Jeff Melvin

Comentários: é a categoria secundária mais disputada, apesar da lista ser previsível.

Melhor maquiagem e cabelo
“Darkest Hour” – Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick
“Victoria & Abdul” – Daniel Phillips e Lou Sheppard
“Wonder” – Arjen Tuiten

Melhor edição/montagem
“Baby Driver” – Paul Machliss e Jonathan Amos
“Dunkirk” – Lee Smith
“I, Tonya” – Tatiana S. Riegel
“The Shape of Water” – Sidney Wolinsky
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Jon Gregory

Comentários: I, Tonya disputava a última vaga desta categoria com Get Out. Nada fora do normal

Melhor figurino

“Beauty and the Beast”- Jacqueline Durran
“Darkest Hour” – Jacqueline Durran
“Phantom Thread” – Mark Bridges
“The Shape of Water” – Luis Sequeira
“Victoria & Abdul” – Consolata Boyle

Comentários: entendo que essa categoria foi um dos pilares da campanha da Focus, por isso não considero Victoria & Abdul como uma surpresa. Eu fui uma das pessoas que mais criticou The Greatest Showman, mas deixar Nathan Crowley de fora para dar duas nomeações para Jackie Durran é uma das coisas que realmente não consigo entender.

Melhores efeitos especiais
“Blade Runner 2049” – John Nelson, Gerd Nefzer, Paul Lambert e Richard R. Hoover
“Guardians of the Galaxy Vol. 2” – Christopher Townsend, Guy Williams, Jonathan Fawkner e Dan Sudick
“Kong: Skull Island” -Stephen Rosenbaum, Jeff White, Scott Benza e Mike Meinardus
“Star Wars: The Last Jedi” – Ben Morris, Mike Mulholland, Neal Scanlan e Chris Corbould
“War for the Planet of the Apes” – Joe Letteri, Daniel Barrett, Dan Lemmon e Joel Whist

Comentários: 2017 realmente foi um ano de grandes filmes neste quesito. Analisando friamente, o pessoal de Dunkirk até pode ficar chateado, mas não pode dizer que alguém desta lista não merecia a nomeação.

Melhor trilha sonora 
“Dunkirk” – Hans Zimmer
“Phantom Thread” – Jonny Greenwood
“The Shape of Water” – Alexandre Desplat
“Star Wars: The Last Jedi” –  John Williams
“Three Billboards outside Ebbing, Missouri” – Carter Burwell

Comentários: mais uma indicação para John Williams, que chega ao incrível número de 51 indicações.

Melhor canção original
“Mighty River”, de “Mudbound”
“Mystery Of Love”, de “Call Me by Your Name”
“Remember Me”, de “Coco”
“Stand Up For Something”, de “Marshall”
“This Is Me”, de “The Greatest Showman”

Melhor edição de som
“Baby Driver” – Julian Slater
“Blade Runner 2049” – Mark Mangini e Theo Green
“Dunkirk” – Richard King e Alex Gibson
“The Shape of Water” – Nathan Robitaille e Nelson Ferreira
“Star Wars: The Last Jedi” – Matthew Wood e Ren Klyce

Melhor mixagem de som
“Baby Driver”- Julian Slater, Tim Cavagin e Mary H. Ellis
“Blade Runner 2049” – Ron Bartlett, Doug Hemphill e  Mac Ruth
“Dunkirk” – Mark Weingarten, Gregg Landaker e Gary A. Rizzo
“The Shape of Water” – Christian Cooke, Brad Zoern e Glen Gauthier
“Star Wars: The Last Jedi” – David Parker, Michael Semanick, Ren Klyce e Stuart Wilson

Comentários: fiquei feliz por ter acertado 9/10 entre as duas categorias, tendo em vista que a nomeação dos sindicatos ocorre apenas após o anúncio dos nomeados ao Oscar.

Melhor curta de animação
“Dear Basketball”
“Garden Party”
“Lou”
“Negative Space”
“Revolting Rhymes”

Comentários: confira o tópico especial desta categoria.

Melhor curta

“DeKalb Elementary”
“The Eleven O’Clock”
“My Nephew Emmett”
“The Silent Child”
“Watu Wote/All of Us”

Comentários: confira o tópico especial desta categoria.

Melhor documentário (curta)
“Edith+Eddie”
“Heaven Is a Traffic Jam on the 405”
“Heroin(e)”
“Knife Skills”
“Traffic Stop”

Comentários: confira o tópico especial desta categoria. 

Comments

comments

Deixe uma resposta