Estiu 1993 (Verão 1993) – 2017

Indicado pela Espanha para concorrer ao Oscar de melhor filme estrangeiro, Estiu 1993 (Verão 1993, no Brasil) conta a infância da diretora Carla Simón através da inocência infantil.

Frida (Laia Artigas) vai morar com seus tios (Bruna Cusí e David Verdaguer), no interior da Catalunha, após a morte de sua mãe, vítima do vírus da AIDS. Buscando entender sua nova rotina, Frida tem alguns desafios, especialmente na criação de vínculos afetivos. A mudança da agitada Barcelona para um vilarejo local justamente no verão apresenta para ela um novo estilo de vida, que a garota tenta abraçar rapidamente.

É lindo testemunhar como Simón montou sua produção em torno do mundo criado por Frida, que, pela sua idade, não compreende os preconceitos da sociedade e tampouco entende o motivo pelo qual não pode ter uma vida normal como as outras crianças da região. A partir de expressões faciais e do próprio silêncio observamos o quanto a menina sofre para se adaptar a um mundo novo, diferente de tudo o que conhecia.

É por conta disso que em determinadas passagens a orientação do filme aproxima-se muito de um docudrama focando apenas na experiência de vida de Frida e no seu ponto de vista, deixando os adultos como meros secundários. Pela sensibilidade, o resultado é positivo.

Verão 1993 é um filme extremamente lento, que se preocupa com a construção do arco narrativo principal para apresentar uma conclusão impactante. Ótima produção espanhola que se valoriza com a boa distribuição internacional.

NOTA: 7/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta