The Emoji Movie (Emoji: O Filme) – 2017

A pior animação de todos os tempos. The Emoji Movie (Emoji: O Filme, no Brasil) na verdade deve ser um exemplo usado nas escolas de cinema para mostrar como uma produção pode chegar ao fundo do poço em vários quesitos. É estranho mencionar isso tendo em conta que geralmente esse tipo de produção é voltada para o público infantil e tem uma fórmula de narrativa quase que padrão no mundo todo. Mas o diretor Tony Leondis e a Sony decidiram tentar criar um mundo alternativo dentro de um smartphone – passo inicial de uma tragédia anunciada – para depois desenvolver personagens sem o mínimo de carisma, abusando de piadas forçadas e desnecessárias. O pior de tudo isso é notar que a produção da Sony na verdade preferiu focar em vender espaços comerciais para aplicativos do que tentar contar uma boa história, ainda que fosse moldada para crianças de cinco anos.

Gene (T.J Miller) é um emoji que vive em Textopolis, dentro de um smarphone de um jovem. Quando o garoto utiliza pela primeira vez Gene em uma conversa, o emoji acaba errando a expressão facial e comprometendo uma conversa. Convencido de que Gene apresenta problemas, Smiler (Maya Rudolph) ordena que ele seja excluído. Junto de Hi-5 (James Corden), Gene busca redenção com a ajuda de uma força misteriosa.

Com o foco na venda de anúncios, obviamente a história central é totalmente comprometida. Existe uma tentativa de tentar emular o sucesso de Inside Out a partir do momento em que o smartphone é visto como um mundo repleto de vida. O problema, no entanto, é tentar repassar isso de forma agradável. O que foi feito em The Emoji Movie beira o ridículo: vários buracos e fraca argumentação que comprometem a experiência final.

Para o crítico, todos filmes ruins deste nível representam uma possibilidade de investigação. Confesso que fiquei surpreso ao me deparar com um produto final tão medíocre – mas isso é parte da nossa rotina. Para o público em geral, recomendo ao máximo procurar outras opções (ao menos que você se interesse em ver o Dropbox como um céu para os emojis e considere interessante a Ubisoft se promover com Candy Crush e Just Dance.

Investir cinquenta milhões de dólares em uma animação pode não significar muita coisa. Apesar de resultados decentes na bilheteria dos EUA, The Emoji Movie não tem o mínimo de apelo junto ao público. Não é o tipo de animação que tem capacidade para instalar uma franquia ou mesmo lucrar em cima de licenciamentos de produtos. Um fracasso monumental que deve ser estudado para não ser repetido.

NOTA: 2/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta