Houston, We Have a Problem – 2016

“Este filme será um grande trunfo se o espectador entender não apenas como nós somos manipulados, mas como não existe uma mentira clara e evidente”. A participação do filósofo Slavoj Žižek é um dos grandes trunfos de Houston, We Have a Problem, mockumentary que toma traços inéditos dentro do subgênero. Žižek começa com uma paródia sobre o Papai Noel: os pais fingem acreditar para não desiludirem seus filhos, enquanto estes fingem acreditar para ganhar os presentes. Ela é fundamental para entender a ideia da produção de Ziga Virc (participante do programa de jovens talentos da Academia). Seu “docu-fiction” trata sobre a história do programa especial da Iugoslávia, contada de forma tão convincente que, durante sua exibição em Nova York, várias pessoas realmente acreditaram em tudo o que foi exposto.

Guerra Fria: enquanto os Estados Unidos apresentam diversos problemas em seu projeto espacial, a União Soviética assume o protagonismo ao enviar o primeiro satélite e o primeiro homem ao espaço. Enquanto Kennedy dizia que preferia ir a Lua, o Marechal Josip Broz Tito, presidente da iugoslavo, desenvolvia um projeto próprio para assumir papel de destaque nessa disputa. Após notar que não teria recursos, Tito decide vender o projeto para os Estados Unidos pela fortuna de 2,5 bilhões de dólares, o que causa repulsa de vários grupos que lutam contra os abusos de Tito na Iugoslávia. O projeto, no entanto, tinha graves falhas e absolutamente nada foi proveitoso. O problema virou uma bola de neve, e os presidentes Johnson, Nixon e Carter tiveram que criar alternativas para lidar com o prejuízo de Tito.

Tudo parece fazer sentido, mas cabe aqui fazer uma pequena nota: nada realmente ocorreu. Em um trabalho impecável para convencer seu espectador e dar credibilidade as mirabolantes histórias inventadas, Virc abusa do uso de gravações do acervo pessoal de Josip Broz Tito e mescla com áudios, fotos e vídeos dos estadunidenses. Além disso, o diretor sente-se muito a vontade para falsificar documentos e criar personagens fictícios ao mesmo tempo em que sabe utilizar muito bem a contextualização da época – como o fato de que o país de Tito era o que apresentava melhor qualidade de vida no bloco comunista. As falsas entrevistas com historiadores e com supostos membros do programa espacial do país dão profundidade ímpar ao mockumentary.

Mesmo com a formação acadêmica na área da História, encarei Houston, We Have a Problem como uma grande piada, que comprova como uma mentira bem contada pode ser tomada como verdade absoluta. Virc não lança nenhum chamado para dizer que seu documentário é falso, e em vários momentos é possível questionar até que ponto ele decidiu mesclar a verdade com a mentira, já que a produção é impecável. Por conta disso, muitos colegas da crítica estadunidense ficaram chocados ao descobrir, já nos minutos finais, que tudo o que foi apresentado aqui era falso. Não duvido que muitos falem em casa sobre a relação de Kennedy com Tito e até mesmo questionem a participação de cientistas iugoslavos no programa espacial estadunidense. Como disse, Žižek já havia feito o alerta. Houston, We Have a Problem é o candidato da Eslovênia ao Oscar de melhor filme estrangeiro e já conseguiu um contrato para distribuição internacional através da Netflix, com estreia prevista para 2017.

NOTA: 8/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta