Independence Day: Resurgence (Independence Day: O Ressurgimento) – 2016

Vinte anos depois, Independence Day: Resurgence (Independence Day: O Ressurgimento, no Brasil) chegou com o peso de manter o mesmo nível de seu antecessor (ao menos com o sucesso de bilheteria). O resultado, no entanto, é desastroso. Montado apenas em cima de um CGI questionável, Roland Emmerich entrega um dos piores blockbusters da história do cinema.

Mais uma guerra: Steven Hiller (Will Smith) morreu em um treinamento, mas seu filho, Dylan (Jessie T. Usher) e seu ex-parceiro, Jake Morrison (Liam Hemsworth) assumem parte da resistência que visa aniquilar com os invasores. A ‘Guerra de 96’ é resgatada através de velhos personagens e de novos (sem nenhuma profundidade).

Sempre achei que o longa de 1996 sofre de problemas graves – e que sua fama é muito maior do que seus créditos, propriamente ditos. Mas nada comparado ao que é apresentado aqui. Furos e buracos de roteiro não cobrem as falhas estruturais de personagens e de contextualização. O mundo de Indepencence Day é tão vazio que é difícil imaginar um investimento de mais de 160 milhões de dólares. Tudo é baseado em um número mínimo de pessoas, e todas elas se encontram nas cenas finais do filme. Ou seja, toda a tentativa de credibilidade de passar um mundo destruído cai por terra quando, por exemplo, um homem salva-se de uma tsunami em um pequeno barco.

A decisão de colocar um CGI destrutivo em um filme PG-13 segue o mesmo padrão recente da indústria, como apresentado em San Andreas. Não existem corpos, não existe sangue – o que seria até compreensível se não fossem os cenários vazios. No fim, a ‘destruição’ é apenas um instrumento do roteiro, que mais parece como um tornado. Os alienígenas apresentados são absurdos! Mais absurda ainda é a tentativa de misturar as tecnologias dos humanos com a de seres que, teoricamente, estariam milhares de anos na frente. A moral da história é que os Estados Unidos sempre vencem, sendo o país responsável pela condução do mundo. A paz mundial, portanto, depende do homem estadunidense.

Independence Day: Resurgence é um verdadeiro fracasso – no mais amplo sentido dessa palavra. Deve servir como exemplo para produtores e diretores que levam adiante projetos com o intuito único de buscar dinheiro: o público não suporta mais histórias sem nexo e construções baseadas apenas em CGI. Essa falta de respeito e toda a repercussão negativa atinge em cheio a Fox e coloca em jogo o destino da franquia. Que vexame, Roland Emmerich.

NOTA: 2/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta