Money Monster (Jogo do Dinheiro) – 2016

Com direção de Jodie Foster, Money Monster (Jogo do Dinheiro, no Brasil) é o típico popcorn movie que preocupa-se apenas com o entretenimento de seu público, deixando de lado qualquer discussão mais ampla sobre os podres de Wall Street.

George Clooney interpreta Lee Gates, âncora de um popular programa que oferece aos público dicas de investimentos na bolsa. No último dia da presença de sua produtora – Patty Fenn (Julia Roberts) – que deixará o programa para se transferir para outra rede de televisão, Lee é tomado como refém por Kyle (Jack O’Connell), um homem desesperado que invade o estúdio com uma arma e com um colete com bombas, exigindo explicações do apresentador após perder os 60 mil dólares de sua poupança em ações de uma empresa que, misteriosamente, perdeu grande parte de seu valor de mercado por conta de um erro em seu algorítimo interno.

Ao contrário do excelente The Big Short, em Money Monster não existe espaço para uma contextualização sobre o objeto central de sua análise. Dinheiro, Wall Street e ações de mercado são transmitidas ao público de forma bastante despojada – reflexo da forma como Clooney toca seu personagem. Por conta disso, o espectador mais exigente sentirá falta de um alinhamento mais claro da produção com seus tópicos-chave.

Como entretenimento, pura e simplesmente, o esforço de Foster é notável. O toque e andamento do roteiro escrito por Alan Di Fiore, Jim Kouf e Jamie Linden é bastante agradável, com várias passagens tensas e muita movimentação, o que impressiona pelos poucos personagens envolvidos. A atuação de Clooney e de O’Connel são boas o suficiente para manter a atenção, com boas contribuições de Roberts, que serve como um fio de equilíbrio.

Obviamente, existe um número considerável de situações que são agravadas pela decisão de mesclar o tradicional thriller com uma situação de sequestro – tão explorada por Hollywood. Infelizmente, tão logo que os motivos de Kyle ficam claros, o filme perde uma porção considerável de momentum, e o foco volta-se apenas para a resolução dos possíveis crimes cometidos pela empresa comandada pelo persongem de Dominic West, que estaria envolvido com em negócios ilegais na África do Sul.

Money Monster está longe de ser um filme que figure como destaque na filmografia de Clooney e de Roberts, mas isso não quer dizer, necessariamente, de que estamos tratando de um filme ruim ou mal produzido. Pelo contrário, dependendo da pretensão do público, o longa é capaz oferecer um bom programa casual – e nada mais que isso.

NOTA: 6/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta