Wilde Salomé – 2011

Wilde Salomé é um documentário sobre uma obsessão. Al Pacino sempre passou a imagem de um ator que foca seu tempo livre na leitura de clássicos. No começo da década de 1990, seu fascínio pela obra Richard III deu luz ao filme Looking for Richard, que demorou cerca de quatro anos para ser gravado. Após assistir a peça Salomé, o vencedor do Oscar por Scent of a Woman leu tudo sobre Oscar Wilde –  e pensou em uma produção da mesma magnitude que a citada anteriormente. Desde o primeiro minuto, Al deixa claro que Wilde Salomé é uma mistura da vida do autor irlandês com sua visão sobre a obra.

O documentário foi filmado junto com a apresentação da peça homônima em Los Angeles, no ano de 2007. Por conta disso, essa é a primeira participação de Jessica Chastain em um longa metragem – apesar de ser lançado depois de Jolene. Ela incorpora uma personagem extremamente complicada, já que Pacino deu leves modificadas nas bases gerais da obra – algo que ele faz questão de justificar, apesar das críticas.

A confusão dos produtores e do elenco. por sua vez, é justificada: Pacino quis fazer tudo de uma vez. Seu foco alterna entre a peça e a produção do documentário. A recepção negativa da peça em Los Angeles não chega a influenciar diretamente sua narrativa, que alterna entre cenas da peça com suas caminhadas na Europa em busca de mais detalhes sobre a trajetória de Wilde e a composição da obra. Como todo behind de scenes, Wilde Salomé apresenta um bocado de cenas de profundo interesse: desde os trejeitos da lenda de Hollywood até a discussão de verbas com seus financiadores, o tom leve e agradável deixa tudo entre uma grande roda de amigos, como se Pacino quisesse dialogar diretamente com seu espectador.

O documentário estreou em 2011, junto da premiação de Pacino no Festival de Veneza, mas só foi liberado em home-video no final de 2015. Al nunca disse o motivo de ter mantido o filme sob cadeados por cerca de quatro anos – e após isso, a distribuição deixou muito a desejar – mas pode se especular que tal fato tenha ocorrido pela dificuldade de vender ao público uma obra tão peculiar quanto a que estamos tratando aqui. Talvez por isso, uma versão da peça, sem as partes de bastidores, foi lançada em conjunto, com o título de Salomé.

NOTA: 7/10

IMDb

Deixe uma resposta