Trainwreck (Descompensada) – 2015

Trainwreck (Descompensada, no Brasil) tem seus bons momentos. Em determinadas cenas, a mistura entre a realidade e ficção é recompensadora, com algumas ótimas sacadas. Mas no geral, a comédia romântica escrita e estrelada por Amy Schumer cai na fórmula de abuso de sexo – com saídas secundárias para o uso de drogas – deixando de lado qualquer brilho do roteiro. o que não é novidade, já que o diretor Judd Apatow virou especialista neste tipo de produção.

Amy (Schumer) é uma mulher que foi criada em um perturbado ambiente familiar. Durante sua infância, seu pai cruzou a linha e investiu em relacionamentos extraconjugais, que acabaram influenciando a forma como ela enxerga a sociedade. Vinte anos mais tarde, Amy encontra-se pulando de cama em cama, colocando o sexo como um entretenimento do mesmo nível de um baseado. As coisas começam a mudar quando ela conhece o cirurgião Aaron (Bill Hader), um homem que é seu oposto perfeito.

O lado positivo de Trainwreck é, ao mesmo tempo, a raiz dos problemas que tornam, em última instância, o longa em um péssimo produto comercial americano. Ao explorar a imagem de uma mulher independente, completamente alheia a visão machista de sexo e relacionamentos, Schumer tinha nas mãos a capacidade de tornar seu longa como uma comédia séria e compromissada. Só que esta premissa é abandonada para investir em cenas de sexo sem sentido (explorando piadas secundárias com o corpo de John Cena, por exemplo) que aos poucos se direcionam a história pra um fechamento completamente alheio ao objetivo proposto na primeira meia hora de trama.

Parte disto pode ser atribuída ao diretor Apatow, que segue o padrão de suas comédias pastelão. Neste caso, a farra de filmes como The 40 Year Old Virgin e This is 40 não é explorada da mesma maneira, justamente por conta da personagem principal. Surpresa absoluta entre os indicados ao Globo de Ouro de 2016, Trainwreck é uma comédia romântica que tenta trazer um ar fresco a um gênero completamente batido, só que peca justamente pelo preciosismo de toda a equipe, a começar pela própria protagonista.

NOTA: 4/10

IMDb

Comments

comments

Um comentário em “Trainwreck (Descompensada) – 2015

Deixe uma resposta