Secret in Their Eyes (Olhos da Justiça) – 2015

Fatos: 1) El secreto de sus ojos, de Juan José Campanella é um dos cinco melhores filmes deste novo milênio; 2) Secret in Their Eyes (Olhos da Justiça, no Brasil) é uma adaptação decente de um longa incrível, chegando a ser injusta a comparação direta entre as duas produções, considerando o alto nível da argentina.

Dito isto, deve-se ter em mente que uma notória porção do público (especialmente nos EUA e na Europa) não teve acesso ao longa original – seja por distribuição e promoção fraca ou por questões culturais, como o nariz torcido para filmes legendados em países anglófonos. O diretor Billy Ray, que fez um trabalho excepcional na adaptação do roteiro de Captain Phillips, foi inteligente o suficiente para saber que não bastava seguir a risca os pontos do longa argentino: era necessária uma identidade própria.

A contextualização chama atenção: pós 11 de setembro. Os EUA enfrentam a primeira fase da ‘Guerra ao Terror’ proposta pelo presidente George W. Bush. Ray (Chiwetel Ejiofor) é um agente da força especial antiterrorismo criada pelo governo americano que trabalha vigiando uma mesquita, potencialmente perigosa. Junto de sua melhor amiga de trabalho, Jess (Julia Roberts), ele acaba criando também uma relação próxima com Claire (Nicole Kidman), ambiciosa mulher que busca fazer carreira no governo federal. Tudo muda quando o corpo da filha de Jess é encontrado próximo da mesquita – gerando conflitos internos e desavenças pessoais. Através da perspectiva do personagem homônimo do diretor, busca-se entender mais sobre os podres por trás da história – que envolve inclusive membros do alto escalão do FBI.

Amigos de Hollywood escreveram que o remake veio cedo demais, mas isto faz parte de uma tendência atual do cinema americano. Billy Ray teve a sua disposição um elenco de primeiro nível para a difícil tarefa de dar vida a reescrita de um filme grandioso e vitorioso. Outro diretor talvez pensasse em copiar descaradamente o roteiro, mas Ray teve a capacidade de tentar dar toques diferentes à história original – que funcionam em alguns momentos e em outros são vergonhosos.

É por este motivo que não consigo ver Secret in Their Eyes como uma reescrita (ou um rival) do longa original – e tenho certeza que os produtores também não pensaram nisso, apesar da insistência de colegas críticos americanos. É óbvio que o melodrama misturado com suspense perde força a medida em que sabemos que uma grande surpresa nos espera – e esta nem é a minha principal discordância. O grande problema é a edição, que faz um jogo de ping pong extremamente cansativo entre passado e futuro. Também faltou cuidado com o envelhecimento dos personagens, deixando clara a precária maquiagem e o uso de recursos em outras áreas (afinal, em um filme de 20 milhões de dólares com três estrelas de alto calibre, algo teria que ficar de lado). Apesar disso, em geral as atuações são boas, com destaque para o excelente Chiwetel Ejiofor. Por outro lado, Nicole Kidman continua em péssima fase, interpretando uma personagem sem identidade própria – fruto de seu perfil recente. Faz muitos anos que a australiana não se destaca e acaba entregando um resultado desleixado e de baixo nível.

Secret in Their Eyes é um suspense típico dos Estados Unidos, completamente recortado. Seria um bom filme se não fosse a sombra da obra prima pela qual foi adaptado.

NOTA: 6/10

IMDb

Comments

comments

Deixe uma resposta