Diplomatie (Diplomacia) – 2014

Dietrich von Choltitz. Se você perguntar para algum parisense, certamente o nome deste alemão será reconhecido. Afinal, se a cidade mais bela da Europa ficou intacta após a Segunda Guerra Mundial, este General é o principal responsável. O longa francês Diplomatie (Diplomacia) segue a mesma história contado no clássico Paris brûle-t-il? mas com outra perspectiva.

Enquanto o filme de 1966 dirigido por René Clément e estrelado por um elenco de peso tratava sobre a liberação de Paris a partir de vários pontos de vista, Diplomatie passa a maior do tempo dramatizando a conversa do General (Niels Arestrup) com o diplomata sueco Raoul Nordling (André Dussollier), que fez o possível para evitar que todos os principais monumentos da cidade fossem destruídos e que ocorresse na cidade uma descontrolada matança por parte dos alemães. Dá pra imaginar Paris sem o Louvre ou sem a Torre Eiffel? Pois é.

Entre as paredes de uma luxuosa sala do Hôtel Meurice, o General e governador da cidade conversava com Berlim ao mesmo tempo que ouvia as propostas do sueco para se render e ser reconhecido na história como o homem que deixou Paris intacta. O longa tem uma progressão excelente, já que ficamos limitados quase que a maioria do tempo em um cenário. O diferencial, no entanto, é o nível da conversa protagonizada pelos dois atores, que é uma verdadeira aula de diplomacia e cooptação.

Hitler certamente não gostou nada de ver suas ordens descumpridas. Diplomatie não entra no mérito e propõe um desfecho baseado no que já foi apresentado em uma peça de teatro. Apesar de von Choltitz ser um grande admirador da cultura francesa, até hoje os acadêmicos discutem se esta recusa de destruir a cidade se deu apenas pela mediação de Raoul ou se existia algo a mais. Certamente esta decisão não foi tomada em uma noite, como sugere o filme. Mas o fato é que von Choltitz foi um dos poucos nazistas que gozou de certo prestígio na França após a Segunda Guerra.

NOTA: 8/10

IMDb

Comments

comments

2 comentários em “Diplomatie (Diplomacia) – 2014

Deixe uma resposta