Birdman – 2014

Um dos melhores e mais esperados filmes do ano! Birdman é a mistura perfeita de humor e drama ao melhor estilo Alejandro González Iñárritu.

Michael Keaton é Riggan Thomson, um ator que vive das glórias da época em que deu vida ao super-herói Birdman. Em uma tentativa de recuperar seu prestígio, Riggan coordena uma ambiciosa adaptação de um livro escrito por Raymond Carver na Broadway, para provar definitivamente para sua ex-esposa, Sylvia (Amy Ryan), e para sua filha (Emma Stone) que ele tem potencial para voos mais altos em sua carreira. O problema é que nem mesmo Riggan sabe bem o que quer de sua vida, e a voz de Birdman o atormenta durante algumas cenas para buscar outras alternativas. O elenco da peça também é composto por Mike (Edward Norton) e Lesley (Naomi Watts), que já se envolveram em um romance no passado.

Tanto Riggan quanto Keaton tem uma coisa em comum: ambos buscam novos ares. Após perder o papel de Batman, Keaton entrou em uma maré negativa e engatou uma sequência em que alternava longas ruins ou papéis muito pequenos para seu talento. É ótimo ver ele de volta a lista dos grandes do cinema americano, assim como é bom ver Norton receber mais uma nomeação ao Oscar. Zach Galifianakis foge um pouco de seu ninho para interpretar o empresário do protagonista – o cara responsável por coordenar o jogo sujo. Todo o esquema montado em cima do elenco faz de Birdman uma produção extremamente rápida e inteligente, aquele tipo de filme que você não consegue piscar por conta de tanta coisa que acontece ao mesmo tempo.

Riggan realmente tem os poderes de Birdman ou isto é apenas fruto da sua imaginação? A forma como o herói resolve os vários desafios que aparecem na Broadway tornam a resposta para esta pergunta um tanto quanto pessoal. A maior parte da rodagem acontece no teatro ou em seus arredores, mas a cena em que Riggan vai para rua e ouve o chamado de Birdman é memorável. O trabalho de fotografia deste longa é impecável! Emmanuel Lubezki e sua Steadicam são perfeitos ao tentar copiar Rope (1948) e dar a impressão que o filme foi gravado de uma só vez. Neste quesito, palmas também para os editores que buscaram cortes imperceptíveis, mas que infelizmente não tiveram seu trabalho reconhecido pela Academia. Birdman abusa do humor negro com a imprevisibilidade característica de Iñárritu. As varias menções a Hollywood – e as indiretas a própria carreira de Michael Keaton – tornam este filme indispensável nesta época de premiações.

NOTA: 8/10

IMDB

Comments

comments