The Last Command (A Última Ordem) – 1928

Emil Jannings foi a primeira pessoa a receber uma estatueta da Academia. Antes da cerimônia do dia 16 de maio de 1929 ocorrer, o ator alemão recebeu a noticia que seria premiado por suas participações nos longas The Last Command e The Way of All Flesh, sendo que este último filme foi perdido em um incêndio no final da década de 1930. Emil avisou a recém-criada Academy of Motion Picture Arts and Sciences de que não poderia comparecer a cerimônia pois tinha um compromisso na Europa e estava partindo de navio para o velho continente. Douglas Fairbanks sugeriu entregar o Oscar para o ator em uma rápida cerimônia privada. Algumas fofocas do período pré-Segunda Guerra apontam que Jannings chegou a Berlim e foi correndo mostrar sua estatueta para Hitler, mas estes boatos são falsos. Apesar do ator nutrir grande simpatia pelo Terceiro Reich, foi apenas a partir de 1933 que ele passou a fazer parte do corpo de atores da Alemanha Nazista.

The Last Command teve direção do austríaco Josef von Sternberg. A história foi inspirada em fatos reais. O general Sergius Alexander (Emil) luta para manter um padrão de vida aceitável em Hollywood. Veterano da guerra civil russa, ele tenta a vida como figurante de longas, até que certo dia um produtor descobre seu perfil em uma seleção de casting e faz questão de trazer o velho general para as telas. A expressão cabisbaixa do protagonista dá lugar a sua história de vida, que mostra a ascensão e queda do Império Russo através de um longo flashback.

O filme mudo apostou em um improvável romance entre o general aliado do Czar com uma revolucionária para apostar em um melodrama muito tradicional deste período. É aqui que o espectador passa a sentir pela por Sergius: ele é humilhado, vê seus amigos serem assassinados e ainda testemunha a morte da mulher que lhe deu um sopro adicional de vida.

Quando o flashback acaba, voltamos para a cabeça tremula e a expressão incrédula do protagonista. Ele participa de uma cena de um filme de guerra e deixa de lado o script para atuar como se estivesse lutando pela sua amada Rússia Imperial. É a sua última ordem. Não tenho dúvidas que esta cena foi decisiva para premiar Emil com o Oscar.

Uma grande atuação de um ator que caiu em desgraças logo após a queda de Hitler. Uma pérola do cinema mudo. A qualidade da restauração feita pela Criterion está demais!

NOTA: 8/10

IMDB

Deixe uma resposta