The Evil Dead (A Morte do Demônio) – 1981

The Evil Dead (A Morte do Demônio, no Brasil) faz tanto sucesso entre os fãs do gênero terror gruesome que é bastante difícil avaliar negativamente um longa de tamanho impacto cultural entre os jovens, especialmente aqueles das décadas de 1980 e 1990.

Apesar do fraquíssimo roteiro, a mágica que Sam Raimi fez, ao criar um filme com um orçamento apertado e abusar dos cortes para retalhar e juntar cenas na sala de edição certamente colocam esta película na lista dos chamados “cult classics”.

 Temos aqui uma típica história localizada em uma abandonada casa dentro de uma floresta, Um grupo de amigos composto por Ash (Bruce Campbell) e sua namorada Linda (Betsy Baker), Scott (Richard DeManincor) e sua namorada Shelly (Theresa Tilly) e Cheryl (Ellen Sandweiss) querem aproveitar o spirng break da  Michigan State University da melhor forma possível. Eles não sabem , no entanto, que o local que eles pretender passer os próximos dias foi alvo de  rituais satânicos no passado. Após despertarem os espíritos ruins com uma gravação que continha um código demoníaco, aos poucos um por um vai perdendo a consciência e cedendo seu corpo a criaturas famintas pela morte.

Esteticamente, o filme deixa muito a desejar. O que o torna especial é justamente a precariedade de seus efeitos especiais – e a tamanha capacidade deles surpreenderem o espectador. No meio de um rio de sangue após cada morte, geleias, gosmas nojentas, algodão e até mesmo espumas jorram dos cadáveres dos possuídos com uma tremenda naturalidade. O fato do roteiro não ter nenhum progresso, já que eles passam uma noite lutando contra a floresta e os espíritos demoníacos, hoje seria um fator que levaria o espectador a sair da sala de cinema falando mal do filme, mas lembre-se que nesta época os recursos utilizados pela equipe de The Evil Dead, que misturam comédia negra com uma sensação forçada de terror, eram pouco explorados.

Stephen King gostou do que viu e conseguiu um acordo para Rami levar seu filme aos cinemas americanos em parecia com a New Line. O sucesso comercial estabeleceu uma lucrativa franquia e o mercado de Rami aos poucos foi aumentando.  Apesar de não conseguir deslanchar sua carreira após o terceiro filme da franquia, Bruce Campbell é um dos atores mais assediados nos eventos Comic-Com, devido a tamanha popularidade de seu personagem.

Se você consegue assistir a um longa descomprometido e avaliar todo o contexto de produção por trás deste filme, acredito que é possível curtir os momentos de tensão gerados. Caso contrário, The Evil Dead vai irritar o espectador desde os primeiros minutos.

NOTA: 5/10

IMDB

Deixe uma resposta