Maradona by Kusturica – 2008

Véspera de final de Copa do Mundo! Mês de Emir Kusturica aqui no site! Oportunidade perfeita para assistir a discutir sobre um documentário que estava muito tempo atirado na minha coleção de filmes. Maradona by Kusturica foi lançado em 2008 e acompanha dois anos de entrevistas do diretor sérvio com aquele que é apontado como “o maior jogador de futebol de todos os tempos”. Apesar de algumas boas sacadas, não posso esconder minha profunda decepção com as decisões tomadas por Emir e sua equipe.

Sempre quando penso em um documentário, o objeto de análise deve ficar claro ao espectador. Neste caso, temos Diego Armando Maradona, que dispensa apresentações. O problema é que a contextualização se faz necessária para responder várias perguntas. como, por exemplo, qual a motivação do diretor em trabalhar com Maradona e porque o argentino aceitou ser acompanhado por Emir (dica: $$$). Enfim, estas perguntas nunca são respondidas – e Kusturica se torna um estranho em meio as várias situações em que Diego parece muito a vontade.

O trabalho de construir a vida de Maradona não é feito de forma linear. Uma hora Dieguito fala sobre Fidel Castro, outra fala sobre W. Bush como um criminoso de guerra e a seguir conta sobre sua infância. Os depoimentos são intercalados com gols, (com destaque para o clássico “la mano de Dios”, exibido pelo menos seis vezes) mas o que chama a atenção é a falta de interesse do diretor com seu entrevistado. Praticamente em todas as falas de Diego, trechos de seus filmes são apresentados, em uma tentativa bastante infeliz de trazer seu universo como reflexo na vida de um terceiro.

Muitas pessoas se interessaram pelo filme, na época de seu lançamento, justamente pelas questões relativas ao uso de cocaína por parte do craque argentino. Okay, ele fala sobre seu vício, mas faltou aquele toque especial que homens como Werner Herzog fazem tão bem, aquele dedo na ferida, o questionamento ético e moral. Kusturica observa, analisa e troca o assunto com cortes bruscos.

Certamente não é uma obra cinematográfica definitiva sobre Maradona – e nem deve ser tratada assim. Não é a área de Emir.

NOTA: 4/10

IMDB 

Comments

comments

Deixe uma resposta