Cavalcade – 1933

Cavalcade foi o filme vencedor do principal prêmio da Academia mais fraco que assisti até agora. Eu compreendo os fatores que levaram o longa da Fox Film ao topo de bilheteria nos Estados Unidos em 1933, mas não se pode deixar de dizer que o tempo fez muito mal a esta produção.

O filme parte de uma ideia extremamente interessante: mostrar como a sociedade britânica da década de 1930 via as três primeiras décadas do século XX. Para tal, somos apresentados a uma família de classe média-alta londrina, e o roteiro acompanha fatos como a Guerra dos Boeres, a morte da Rainha Vitória, o naufrágio do Titanic, o começo da Primeira Guerra Mundial e a ascensão de partidos de extrema-direita após o tratado de Versalhes.

Mesmo com uma excelente premissa, Cavalcade é um clássico exemplo de longa preso em seu tempo. A forma linear com que a história é contada é extremamente chata e cansativa. Não conseguimos acompanhar as preocupações, alegrias e tristezas da família que protagoniza o filme. Um dos casais que acompanhamos no longa morre no Titanic. Ao invés deste fato repercutir na casa, somos jogados, literalmente, para o ano de 1914 e os boatos de começo da Guerra. As várias histórias sem rumo não deixaram espaço para nenhuma atuação destacada do elenco.

A ideia daria um excelente seriado, ou até mesmo uma telenovela. Na época de lançamento, tenho certeza que as pessoas se emocionaram ao ver episódios que marcaram suas vidas retratados na grande tela.  O longa que transformou o diretor Frank Lloyd em uma das principais estrelas de Hollywood também trouxe um lucro considerável a Fox, que usou o dinheiro para o financiamento de The White Parade (1934). Infelizmente as cópias de Cavalcage estão com a qualidade comprometida. Mesmo em Blu-Ray, o som está abafado e a imagem se assemelha muito aos tempos do VHS. Claro que isto não interfere na exibição do filme, mas escrevo para o leitor que se interessar pelo longa saber o que lhe espera.

NOTA: 4/10

IMDB

Comments

comments

Deixe uma resposta