Sideways (Sideways: Entre Umas e Outras) – 2004

O Academy Awards de 2005 foi o primeiro que acompanhei dia a dia. Mesmo sem possibilidades de assistir a todos os filmes naquela época (e ainda bem jovem), torci bastante para Clint Eastwood e Million Dollar Baby. Mas naquele ano Sideways (Sideways: Entre Umas e Outras, no Brasil) despontou como favorito da crítica americana, conseguindo o topo de importantes listas que compilaram os melhores filmes de 2004.

Paul Giamatti interpreta Miles, um professor de colégio que quer se tornar escritor. Sem perspectiva de futuro e mergulhado em uma profunda depressão após se separar de sua mulher, ele decide acompanhar seu melhor amigo Jack (Thomas Haden Church) em uma viagem pelas vinícolas da Califórnia, apenas uma semana antes do casamento deste. Mas Jack coloca tudo a perder após se apaixonar por Stephanie (Sandra Oh), funcionária de uma das vinícolas visitadas. Miles se interessa Maya (Virginia Madsen), mas sua timidez e seus demais problemas tornam-se empecilhos para o romance. Neste meio tempo, as discussões sobre relacionamentos e caráter tomam conta dos pensamentos dos dois companheiros.

Apenas Jonathan Rosenbaum teve a coragem de discordar de seus colegas e escrever um review negativo na época de lançamento de Sideways.  Dirigido por Alexander Payne, o longa deixa de lado muitas vezes a viagem para colocar em foco o crescente ego de Jack, uma estrela de televisão que acha que seus atos podem passar despercebidos. Sem o mesmo apelo e humor de Election (1999), as belas paisagens e a elegante edição são os pontos positivos de um filme com pretensão de mostrar uma história larger than life, mas que na verdade destaca-se pela competente produção (independente, diga-se de passagem) e pela sólida atuação de Giamatti, talvez a melhor de sua carreira.

NOTA: 6/10

IMDB

Comments

comments

Deixe uma resposta